Poesia e guerra em Arquíloco


Nem toda poesia grega tinha como personagens os deuses e figuras mitológicas que até hoje, depois de milhares de anos, ainda povoam o imaginário de autores e leitores. Um estudo que está sendo lançado no país em segunda edição pela editora da Unesp mostra a guerra e a luta foram temas recorrentes na obra de escritores como Arquíloco de Paros (VII a.C.).

Junto a Homero e Hesíodo, ele foi um dos poetas mais célebres da Antiguidade Greco-romana. Diferentemente daqueles, entretanto, sua poesia é marcada pela figura do guerreiro, das armas e de metáforas marciais. Em Armas e Varões: a Guerra na Lírica de Arquíloco, a doutora em Língua e Literatura Grega Paula da Cunha Corrêa destaca a poesia lírica, a guerra e os aspectos que circundam a obra do poeta grego, contextualizando aqueles mais significativos de sua obra.


Pesquisa interdisciplinar, ela retoma os estudos clássicos ao citar contemporâneos arquiloquéios, como Calímaco e Ésquilo, e estabelece ligações com estudiosos contemporâneos da cultura grega, como Liebel e Vernant. Com isso, cria uma narrativa em que apresenta uma Grécia arcaica que acabara de descobrir o indivíduo e a efemeridade humana.


Para abordar com novas luzes o tradicional poeta, a autora recorre aos mais diversos ramos do conhecimento, articulando filologia, epigrafia, literatura, filosofia, história e arqueologia. Apresenta textos originais do grego e suas possíveis interpretações, valorizando ainda mais a recuperação e entendimento da poesia da época. E, inevitavelmente, compara Arquíloco de Paros a Homero e Hesíodo, em função da proximidade temporal e temática entre os poetas.


O livro define as tradições poéticas, gêneros e estilos pessoais de Arquíloco de Paros, já que essas são as principais diferenças entre ele e outros escritores da época. Nesta segunda edição, revisada e ampliada, é atualizada a bibliografia referente aos fragmentos utilizados, além de indicar novas leituras, como a indexação de um texto (e sua tradução) descoberto recentemente, em 2005.


Restou pouco de sua obra, apenas fragmentos. Também se sabe pouco sobre seus últimos anos de vida. Pesquisas dão conta de que ele teria viajado pela Grécia e passado pelo sul da Itália antes de retornar à terra natal. Lá, Arquíloco teria morrido durante a guerra contra os Naxos.


Sobre a autora - Paula da Cunha Corrêa é professora doutora de Língua e Literatura Grega no Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas (FFLCH) da Universidade de São Paulo. Bacharel em Letras (FFLCH-USP), obteve título de mestre em Estudos Clássicos na Royal Holloway Bedford New College (University of London) com a dissertação Harmoniai and Nomoi. Este livro é a tese de doutoramento defendida em 1995 no Departamento de Filosofia (FFLCH) da Universidade de São Paulo.

Fonte: A Gazeta


0 comentários:

© 2008 Por *Templates para Você*